Category: Palestras e Workshops

Palestra sobre Negócios na Internet

Pessoal, para quem foi na palestra que aconteceu em outubro na Saraiva do Shopping Iguatemi, aqui estão os slides.

Para quem não foi, além dos slides abaixo, leia o artigo

Perguntas sobre Marketing Digital e Lojas Virtuais para você se fazer antes de investir nisso

Perguntas sobre Marketing Digital e Lojas Virtuais para você se fazer antes de investir nisso

Unisal Campinas e Livraria Saraiva Shopping Iguatemi apresentam Rogério Kobal, consultor de marketing digital em:

Negócios na internet: são um bom negócio?

neste sábado 19/10, 18h na Livraria Saraiva do Shopping Iguatemi Campinas

Descubra algumas das melhores perguntas que você precisa ter em mente para encontrar as melhores respostas para suas dúvidas, medos e anseios sobre como usar a internet para vender melhor. Todos os dias eu recebo várias perguntas de pessoas interessadas em abrir uma loja virtual. São pessoas que já possuem um trabalho que lhes proporciona uma renda fixa, ou já possuem uma loja física e desejam ter uma loja virtual.

Algumas pessoas possuem empresas de serviços e desejam criar versões de seus serviços que poderiam ser compradas pela internet.

Acredito que o o ponto em comum entre todos é a percepção equivocada de que uma loja virtual é um investimento barato e que não gera muito trabalho e preocupações.

Veja bem, não existe dinheiro fácil. Muito menos site fácil de fazer. Menos ainda uma loja virtual baratinha e que não dá trabalho mas vende muito depois que entra no ar. Não tem mágica. O sinônimo do sucesso é tem origem nos 4 F´s do empreendedorismo: Foco, Fé, Força e Fôda-se! Tenha coragem de trabalhar muito, como você nunca trabalhou antes em busca dos seus objetivos.

Eu reuni diversas perguntas que respondi nos últimos meses sobre abertura de lojas virtuais na internet. São respostas baseadas em conteúdos apresentados em alguns dos principais eventos de comércio eletrônico de 2013, entre eles o IRCE 2013, o Shop.org 2013, que acontecem anualmente nos Estados Unidos, além do Rakuten Super Expo 2013 que aconteceu recentemente em São Paulo, e claro, em histórias de fracassos e sucessos meus, de clientes e amigos.

Durante a Palestra sobre Negócios na Internet, que acontece neste sábado dia 19/10 na Saraiva do Shopping Iguatemi Campinas, eu vou responder a todas estas perguntas, além das dúvidas e questionamentos que você levar.

 

Quanto custa ter uma loja virtual?

Preparei uma tabela simples comparando diferentes plataformas e tamanhos além de ressaltar as necessidades de divulgação e manutenção após o lançamento da loja.

O que eu preciso fazer para abrir uma loja virtual?

São vários itens muito importantes no que diz respeito a estrutura além de escolher muito bem o segmento de atuação e as categorias de produto

Preciso me preocupar com gateway de pagamento e análise de risco em pagamentos com cartão de crédito?

É fundamental que a tecnologia da sua operação de comércio eletrônico proporcione formas de pagamento estáveis, seguras e que estejam preparadas para o seu volume de transações. Segundo o diretor do Ibope em sua apresentação no Rakuten Super Expo, algumas da principais lojas de comércio eletrônico do Brasil chegam a ter 1 pedido a cada 10 segundos em momentos de pico! Saiba mais sobre este item que impacta sua lucratividade e faturamento diretamente durante a palestra.

 

É viável Investir em links patrocinados para ter uma operação de venda lucrativa na internet?

As palavras-chave dos produtos mais concorridos estão inflacionadas. Hoje é muito caro pagar o preço do clique de produtos de alto giro e desejo. Isso associado a um cenário onde a conversão média de visitas em compras é de 1% ( a cada 100 viistas, temos 1 compra ) o gasto praticado para se vender um produto pode chegar a 30% do valor do pedido. A conta não vai fechar nunca. Saiba mais na palestra.

Qual plataforma é a mais indicada para começar uma loja virtual?

Para quem é pequeno e está começando, é altamente indicado estar presente em um market place para usufruir da diluição de custos e pagamento por resultados. Mas uma alternativa para quem consegue se organizar para produzir conteúdo de forma constante são plataformas open sorce ou de baixo custo. Entenda melhor durante a palestra

 

Com quantos produtos devo abrir minha loja virtual?

Tudo depende de sua capacidade de investimento x quantidade de produtos que será ofertada x espectativa de entrega. Se sua loja for especializada ou uma loja de departamentos, o mix de produtos deverá estar equilibrado para gerar uma operação lucrativa. Nem sempre quantidade é sinônimo de lucratividade. Conheça o motivo durante a palestra.

 

O que é taxa de conversão? Isso é um indicador importante?

Taxa de conversão é o índice que mostra quantas visitas realizaram uma compra dentro do seu site. Junto com a taxa de abandono de carrinho é uma das principais métricas de comércio eletrônico, mas deve ser utilizada com inteligência. Veja como durante a palestra.

O que é abandono de carrinho?

É muito comum os usuários adicionarem produtos no carrinho de compras virtual, adicionar o cep e calcular o custo total do pedido apenas como pesquisa e depois abandonar o carrinho para fazer a mesma coisa em outro site. Esta é uma das principais métricas de comércio eletrônico. Veja ideias para melhorar esta taxa durante a palestra.

Como devemos usar o e-mail marketing para vender produtos?

Sempre. Email marketing faz toda diferença quando bem utilizado. Entenda as principais tendências e dicas de uso num contexto cada vez mais mobile.

 

O que é design responsivo e porque isso é cada vez mais importante?

É um design que se ajusta de forma mais agradável nas telas de tablets e smartphones

 

Qual é a diferença entre uma loja virtual própria e um Market Place virtual?

Market Place é um shopping. Reune diferentes lojas que compartilham da mesma plataforma e do mesmo carrinho de compras. Loja Própria é uma loja que utiliza uma plataforma específica.

 

E mais …

Qual é a importância de Smartphones e Tablets para o comércio eletrônico?

Quanto custa uma plataforma completa e personalizada?

Quanto custa uma plafaforma customizável para lojas iniciantes?

Qual é a importância de SEO e Links Patrocinados?

Qual é a importância do storytelling e páginas com descrições longas de produtos?

Qual é o impacto das mídias sociais no comércio eletrônico?

Qual é o tamanho do comércio eletrônico brasileiro?

Quais são meus principais custos com comércio eletrônico?

 

Espero você lá! Leve suas perguntas e transforme esta palestra debate em algo além de nossos limites.

Sábado, 19/10 18h00 no espaço Carlos Gomes da Livraria Saraiva do Shopping Iguatemi Campinas. Vagas limitadas. Palestra gratuita.

Vá e se você não gostar, aproveite para jantar, ir ao cinema ou ao teatro do shopping.

Marketing Digital e o básico que você precisa ter no seu site para ele vender melhor

Marketing Digital é uma palavra que cada vez mais está em evidência. Há muito modismo nisso tudo e a verdade é que o bom e velho marketing, ou pelo menos os seu princípios básicos, continuam sólidos. O que mudou, e de forma avassaladora, foi o jeito de aplicá-los além da velocidade de divulgação e mensuração que a tecnologia e a internet juntas conseguiram imprimir neste cenário.

Mudou tão rápido e em tão pouco tempo que podemos afirmar que hoje há uma parcela da população que são analfabetos digitais 2.0. Estes que antes eram aquelas que não sabiam mexer no word, excell e power point e hoje são  não conseguem usar a internet para tomar decisões de compra, venda ou lugares para frequentar por exemplo.

Muito bem, a apresentação abaixo faz parte da Palestra 10 características de sites que vendem mais. Eu também escrevi um post sobre este assunto.

Quem tiver alguma dúvida ou quiser fazer alguma pergunta sobre a palestra, pode usar os comentários.

Marketing Digital – Meu site tem muitas visitas, mas os usuários não compram meus produtos e serviços

Marketing Digital, Marketing de Conteúdo, Email Marketing, Marketing Direto, Marketing disso, Marketing daquilo…

marketing digital desenvolvimento de sites email marketing e marketing de conteudo

Há uma afirmação cada vez mais sólida no momento atual de marketing: não há mais a separação em marketing digital e marketing off line, ou mídia digital e mídia tradicional. Simplesmente tudo é marketing.  O multicanal abriu espaço para o canal unificado. Internet, mídia tradicional, ponto de venda, tudo está interligado.

Agora, o que liga tudo isso é a internet, e no caso de uma pequena empresa é o site dela. É com ele que a empresa irá mensurar de fato o resultado das ações de marketing digital e tradicional de forma sistemática, automática, produtiva. É você pode fazer isso de formas simples ou de formas complexas,  extremamente na medida da sua necessidade.

Por isso, cada vez mais, cada centavo que você investe em marketing e propaganda pode ser medido em sua eficácia, ou seja, você consegue mensurar quantas visitas se tornam cadastros e quantos cadastros se tornam orçamentos e quantos orçamentos se tornam clientes com um determinado ticket médio de compra.

Você determina exatamente qual foi o custo de cada contrato fechado. Exatamente.

Se você ainda não faz isso ou se simplesmente por comodidade soma todo o investimento feito em marketing ( pesquisa, desenvolvimento de proposta e produto, propaganda, ações para produção de leads, etc… ) e divide pelo número de contratos fechados, ou compras realizadas, pode estar desperdiçando muito dinheiro pois, neste bolo de investimento, em média 30%, não serve para nada, não produziu nenhum lead, nenhum pedido de orçamento, foi apenas custo.

Você fez investimentos em internet, site otimizado para mecanismos de busca, faz links patrocinados, anúncio e fan page no facebook, tudo que está na moda, mas não fecha a venda. Tem visitas, e não tem pedidos de orçamento por telefone ou por e-mail.  Afinal, o que é que está acontecendo?

Veja abaixo 4 características de um marketing meia boca que pode estar afetando o desempenho do seu negócio:

 

1. O site não segue regras básicas de SEO

Não adianta ter o site perfeito em termos de arquitetura da informação , visual e funcionalidades se ele não aparece nas primeiras páginas dos mecanismos de busca como o Google, para termos-chave relacionados com o segmento de atuação do seu negócio.

Se o seu site não obedecer estas regras, você terá que pagar links patrocinados para aparecer em boas posições que geram visitas ao seu site. Isso custa caro. Geralmente para fazer uma campanha de links patrocinados com foco em 1 grande cidade você irá gastar cerca de R$ 30 a R$ 50 por dia para termos-chave com uma boa concorrência. Há alguns termos que podem chegar até R$5,00 o clique enquanto outros ficam entre R$0,50 e R$0,70.

Resumindo, se não otimizar bem o site, somente terá tráfego se investir bastante em links patrocinados e em propaganda impressa.

 

2. O site tem as regras básicas de SEO, mas não tem visitas

Um site que seguiu as diretrizes básicas de SEO estará pronto para conquistar boas posições nos resultados se foi realizado um estudo detalhado de como os usuários buscam na internet o que sua empresa vende.

Não basta estar bem otimizado para a sua marca. É preciso estar bem otimizado para o jeito que os usuários pesquisam na internet. Do contrário, você não irá captar as visitas desta demanda existente e que realiza buscas muito específicas ( long tail) . Para isso é fundamental que o processo de análise do universo de palavras-chave seja feito com ferramentas adequadas, como por exemplo a ferramenta de palavras-chave do Google, aliadas a outros sitemas de desenvolvimento e monitoramento de campanhas de SEO.

Também é comum o cliente achar que já sabe qual é a palavra-chave principal do seu negócio e qual irá gerar visitas no site. Na grande maioria das vezes as palavras-chave intuitivas, que são aquelas que pensamos em primeiro lugar quando avaliamos como se busca na internet o que o a empresa vende, representam uma fração de toda a demanda de busca do seguimento que envolve a palavra-chave, que não necessariamente produzirá tráfego para o site.

É preciso trabalhar variações de sinônimos além de variações mais específicas em todo o conteúdo do site. Além disso é necessário produzir conteúdo único e de alta qualidade para o processo de decisão de compra do cliente.

Por exemplo, é uma regra básica uma página ter o mínio de 300 palavras em seu corpo e a densidade da palavra-chave, ser da ordem de 6%, ou seja, entre estas 300 palavras se deve ter 18 palavras-chave. Para que o texto faça sentido é preciso ter uma escrita racional, com começo, meio e fim e com a distribuição adequada das palavras-chave alvo em parágrafos, posições e formatações específicas no texto.

Também, não deixando de ser muito comum a configuração do arquivo robots.txt estar bloqueando o acesso dos mecanismos de busca ao mapeamento e indexação do site. Esta configuração equivocada pode se dar por desconhecimento ou até mesmo desleixo da empresa contratada para desenvolver o site.

 

3. O site tem SEO e visitas, mas não recebo ligações nem e-mails pedindo orçamento

Começamos aqui a entrar um pouco mais na parte de marketing que diz respeito às responsabilidades do cliente na maioria dos casos.

Para um site converter visitas em resultados, seja o preenchimento de um cadastro, seja a solicitação de um orçamento por e-mail ou uma simples ligação em busca de informações, é preciso organizar a informação do site de modo que o volume de visitas que chega ao site seja orientado por um call to action objetivo, simples e claro.

O call to action  nada mais é do que uma chamada clara orientada para o usuário com a ação que desejamos que ele faça. Clique aqui, peça um orçamento, cadastre-se, preencha o formulário e veja o preço, são alguns exemplos de ações que deverão ser aplicados dentro de um contexto específico com uma formatação visual específica em uma posição específica no seu site.

Esta organização de conteúdo orientada para a ação pode se denominada de Arquitetura da Informação.

Há muita gente picareta no mercado que apenas organiza o conteúdo no site como se fosse um folder impresso.

Este jeito de fazer marketing é da época dos dinossauros. O que manda hoje em dia é o conteúdo focado na solução dos problemas do seu cliente.

Você deve contar quais são os problemas que você deseja resolver e detalhar o perfil de quem tem estes problemas. Você deverá deixar claro o que o usuário precisa ter ou ser capaz de fazer para conseguir usufruir ao máximo o que você tem para oferecer. Você deverá deixar claro as faixas de preço que você trabalha ( se não quiser colocar isso no site, diga suas faixas de preço na primeira ligação ) para economizar o seu tempo e o tempo do seu cliente.

Podemos resumir 10 características de sites que vendem melhor e são grandes máquinas de produção de demanda qualificada, interessada em comprar o que você faz e vocês podem encontrar mais sobre este tema em um artigo específico sobre isso no meu blog de marketing digital.

 

4. Meu site tem SEO, visitas, contatos de orçamentos mas não gera vendas.

Se todas as etapas anteriores foram bem feitas, é muito provável que a empresa não tenha um bom diferencial. Por conta disso acaba entrando em guerra de cotações de preço, pois o cliente não percebe por que valerá apena pagar mais pelo serviço ou produto oferecido.

Não tem marketing digital nem site otimizado que resolva o problema!

É preciso trabalhar o produto, entender as reais necessidades do cliente final, a faixa de preço que o público-alvo aceita pagar pelos benefícios oferecidos e claro, entender qual é o diferencial competitivo da empresa, produtos e serviços.

É preciso ter muito claro o que somente sua empresa consegue oferecer e qual é o valor que merece ser pago por isso.

Se está difícil de você entender qual é este diferencial na sua empresa, o seu negócio terá como único diferencial a guerra de preço e quando se trata de guerra de preços sempre tem um cara afim de quebrar a empresa antes de você.

Por isso, se você tem demanda e não fecha vendas, seu portifólio está com produtos e serviços que não estão adequados às necessidades do público-alvo que você considera adequado, ou pelo menos gostaria de atender.

Marketing é o que se faz para vender melhor

Se você não está vendendo melhor, você não está fazendo marketing. Ponto.

Quais são os problemas que você quer resolver e quem tem estes problemas?

Dos que tem estes problemas, quantos estão dispostos a pagar o valor pela forma que você resolve estes problemas?

Qual é o valor que você irá cobrar por resolver estes problemas?

Porque quem decidiu comprar o que você faz escolheu você e não o seu concorrente?

Se você não tem estas respostas de forma clara e objetiva em sua mente, você não tem marketing na sua empresa.

Aposto que seu concorrente tem.
Por isso, você está esperando o que para obter estas respotas?
O seu cliente te contar?
É melhor você esperar sentado…

Marketing Digital | Palestra Grátis sobre 10 dicas sobre sites que vendem melhor

Marketing Digital

No próximo dia 22/04, segunda-feira,  o Núcleo de Arte e Cultura do Colégio Álamo de Valinhos apresenta a segunda palestra da temporada 2013 de palestras gratuitas, “As 10 características dos Sites que vendem melhor”. O consultor de marketing digital Rogério Kobal é especialista em atender micro e pequenas empresas e usa a internet para ajudá-las na conquista de suas metas e objetivos.

marketing digital palestra 10 caracteristicas de sites que vendem melhor com Rogério Kobal Marketing Digital

22/04  às 19h30

 Local: Colégio Álamo
Alameda Maria Tereza, 3700 – Dois Córregos , Valinhos, CEP:13278-181 Fone: (19) 3881-1662

Quem quiser poderá contribuir com a Campanha de Inverno 2013

A Palestra terá 2 horas de duração onde “As 10 características dos sites que vendem melhor” serão apresentadas de forma detalhada.  Garanta a sua vaga pois elas são limitadas!

Nesta palestra você verá conteúdo prático, apresentado por quem faz. Você poderá entender melhor o que avaliar no seu site para saber se ele é bom para o seu negócio ou não.

Se você não tem site e está pensando em ter um, após esta palestra você terá condições de avaliar corretamente as propostas enviadas por quem desenvolve sites.

A palestra “As 10 características dos sites que vendem melhor” é ideal para empresas, micro-empresas e profissionais liberais que desejam resolver os seguintes desafios:


  • Atualizar conhecimentos sobre as melhores práticas na internet usadas para vender melhor em suas empresas e lojas físicas;

  • Aumentar o volume de  contados de pessoas realmente interessadas em comprar e não apenas em tirar dúvidas sobre produtos e serviços;

  • Reduzir o tempo que se leva para fechar uma venda;

  • Ter um mailling de clientes que cresce todo santo dia e assim reduz custos de propaganda para enviar mensagens diretamente para o público-alvo;

  • Ter um site que é uma máquina de produzir demanda qualificada e que aparece nas primeiras posições do google para os principais termos de pesquisa;

  • Ter um site onde é fácil de atualizar produtos e conteúdo que ajuda o cliente a realizar a melhor compra;

  • Entender o que aconteceu na última década com o jeito que as pessoas compram e porque a internet cada vez mais é um canal de grande impacto para o seu negócio, seja ele varejo, serviço, produto ou empresarial;

  • Conhecer qual é o tipo de conteúdo que ajudará você a vender mais rápido;

  • Google Analytics, Adwords, SEO, Fan Page, Newsletter, Blog, Twitter, Leads, Taxa de Conversão, CTR – afinal, o que é tudo isso e para serve?

  • Saber mais sobre vender na internet e não tinha ninguém com paciência para explicar para te contar

 

Sobre o Palestrante de Marketing Digital

Rogério Kobal é consultor especializado em serviços de marketing digital voltados para empresas que necessitam ser mais lucrativas, tornando-se mais relevantes para seus clientes. Atualmente atende clientes de diversos seguimentos e tamanhos realizando uma média de 40 projetos por ano.

Hoje com mais de 14 anos de experiência, iniciou sua carreira no mercado publicitário em 1999, com foco em criação e direção de arte realizando trabalhos para Bosch, Valeo, Cibié e SEFAZ entre muitos outros. Passou pela Trópico Telecomunicações, empresa do Grupo Promon, onde participou de projetos de branding e internacionalização da marca Trópico e Vectura (tecnologia VoIP).

Em 2003 ingressou na S&J Management, empresa que gerenciou a carreira de Sandy e Junior por mais de 17 anos, assumindo a gestão do marketing em 2004, ano em que fundou a KOBAL MARKETING DIGITAL. Foi responsável pela criação da versão digital do Clube DNA Sandy e Junior, com mais de 70.000 sócios cadastrados e 15.000 pagantes, além do licenciamento de produtos e propaganda dos artistas com General Motors, Bradesco, Grendene, Avon, Malwee, Claro, Adams entre dezenas de outras empresas e produtos do Clube DNA SeJ.

Também participou do rejuvenescimento e fortalecimento da marca de Edições Loyola, uma das 10 maiores editoras do Brasil, que resultou no crescimento de mais de 400% no volume de acessos no portal da editora, tornando-se destaque na rede Globo, no programa Pequenas Empresas Grandes Negócios em outubro de 2008 e culminando no lançamento da Loja Virtual em dezembro do mesmo ano.

É impressionante como o ser humano pode fazer coisas revolucionárias


Enquanto você usa as mídias sociais para ficar publicando besteira, piadinha, e trolagem tem gente criando o que pode ser a maior revolução do conhecimento da atualidade.  Muitos amigos e até clientes com frequência me perguntam como mostrar exemplos do que fazer com as mídias sociais para incentivar clientes. Alguns clientes da área de educação desejam criar aulas especiais, conteúdo interativo, multimídia, etc. Não tem o que complicar. A resposta está na verdadeira vontade da pessoa em fazer. A resposta está no vendedor disposto a explicar os reais benefícios de um produto ou serviço em um vídeo ( hoje há vários programas que gravam vídeos direto da tela do seu computador. O powerpoint grava sua ppt em vídeo. Há webcams que gravam sua tela em vídeo. Há o Go To Meeting que grava sua apresentação com a sua voz sincronizada ).

o melhor professor do mundo usa o youtube

Enquanto uns usam as mídias sociais para besteirol, discutir BBB, compartilhar vídeos nada a ver, este sujeito criou esta revolução. Quem conhece um pouco dos modelos de educação no Brasil, quem tem pais professores, quem está colocando o filho na escola vai conseguir perceber o horizonte infinito que os vídeos abaixo representam na sociedade de hoje, que é a sociedade do conhecimento. Deixe de ver besteira hoje e assista a este vídeo que tem cerca de 20 minutos, sobre uma apresentação do cara que está na capa da veja desta semana.

Inovar é para quem quer – Palestra AYR Consulting

 

Quando recebi o convite eletrônico a primeira coisa que pensei é: quem é esse tal de Luis Rasquilha, vice-presidente mundial dessa tal de AYR? Bom, o cara faz parte de um projeto simplesmente fantástico! Com uma simplicidade e objetividade ímpar é responsável pela operação da AYR Consultingem 16 países – a maior consultoria do mundo que mapeia tendências a ajuda as empresas a se reinventar acompanhando as mudanças de comportamento dos consumidores –  além de lecionar em diferentes universidades do mundo. Pois bem, o que realmente importa é que este lusitano nômade urbano que gosta de postar fotos de refeições no facebook, possui uma visão global de todas as tendências de comportamento dos consumidores no mundo.

São mais de 6.000 indivídios de diferentes perfis denominados de nômades urbanos que trabalham inseridos em diversas experiências do cotidiano, conectados pela tecnologia e que estão sempre a observar e experimentar para produzirem insights de forma tão natural quanto o ato de respirar, mapeando quais são os novos comportamentos do ser humano no planeta. Todos os dias debatemos tendências e novas ideias sobre aquilo que acreditamos ser um pedacinho do futuro com nossos clientes, sempre céticos e avessos à experimentar grandes mudanças na esmagadora maioria das vezes. Quando muito arriscam-se a fazer algo novo porém nos moldes do século passado, “porque fizeram assim a vida toda e sempre deu certo”. Parte disso é miopia do cliente, parte é nossa mediocridade em conseguir tangibilizar o intangível.

o mercado atual é como esta imagem

As marcas tentam demarcar seu território mas os mercados estão em movimento contínuo.

A AYR Consulting, pelo que entendi, na verdade é uma gestora de riscos de investimentos, já que toda inovação tem um alto risco ou seja, forte capacidade de fazer evaporar dinheiro. Por conseguirem sentir como o comportamento de grandes tribos no mundo está pulsando, conseguem adaptar negócios, serviços e produtos de forma única fazendo com o que o risco de inovar seja minimizado. O mais legal é que eles tem o briefing dos sonhos, um briefing focado totalmente no objetivo. O cliente os convida a ajudá-lo a realizar seus sonhos e objetivos de lucratividade e literalmente dizem: AYR Consulting, o problema é todo de vocês! e eles respondem “ e o risco é de nós dois!” com um modelo de contrato baseado em 50% da remuneração em resultados. Essa é a real valorização do potencial criativo do ser humano. A matéria prima destes consultores inovadores futurólogos é o que Rasquilha chama de “intagibilidade” e o produto final é algo que as pessoas possam entender de forma simples, rápida, direta, e que seja amplamente aplicável.

O cliente final tem que considerar o resultado final de toda essa criação como sendo algo “cool”

O cliente final tem que considerar o resultado final de toda essa criação como sendo algo “cool”. Segundo o vice-presidente da maior consultoria de tendências e inovação do mundo, não há regras, não há modelos, não há respostas qualitativas ou quantitativas. O que funciona de fato é a experiência, a imersão, observação e mapeamento do comportamento. Você pode até duvidar que a pesquisa quantitativa e qualitativa morreu, mas os resultados que são obtidos provam que quali e quanti já eram, quando se pensa em diretrizes de inovação. Fruto da tangibilidade do intangível, um exemplo recente é uma rede Hoteleira Européia que cresceu mais de 20% no meio da crise e recentemente bateu a meta do ano em maio.

Fonte: AYR Consulting, a maior cosultoria de tendências do mundo

Fonte: AYR Consulting, a maior cosultoria de tendências do mundo

Pesquisas Quantitativas e Qualitativas para quê? As respostas para o que realmente importa estão nas mídias sociais, nos comentários dos blogs, na reputação de uma marca, em observar como o seu cliente se comporta e o que é importante para ele e, principalmente, na reputação das pessoas que representam uma marca na internet. A imagem do evento é um slide de um menino fazendo xixi no riacho – “ as empresas querem demarcar seus territórios mais o território está em constante mudança. Por isso temos que nos reinventar constantemente.” No intervalo da palestra abordei o Luis Rasquilha e ele permitiu que eu gravesse as respostas de algumas perguntas. Você confere no vídeo dentro deste post. E aí… você vai ficar aí sentado ou vai começar a atravessar este grande deserto que é colocar estas idéias em prática com os seus clientes? Vê se não vai descobrir um monte de empecilhos para não fazer isso pois seu concorrente pode fazer antes de você.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

____________________________________________________________________________________________________

Rogério Kobal
Sou consultor de marketing e venda digital que ajuda profissionais liberais e pequenas e médias empresas a vender melhor usando tecnologia, internet e marketing de conteúdo. Você pode encontrar mais dicas no meu site, além de fazer perguntas para que eu possa responder e te ajudar. Todas estas dicas são gratuitas e tem o objetivo de ajudá-lo a criar bons resultados no seu negócio e na sua carreira profissional 

Siga-me no twiiter @rogerio_kobal  

O boi só engorda com o olho do dono

Em algum momento da vida você já deve ter ouvido esta frase

O boi só engorda com o olho do dono…

Ela reflete de forma muito interessante a cultura da era industrial, onde as pessoas são literalmente consideradas custos nas empresas em que trabalham.

Depois da revolução industrial –  era das máquinas –  muito tempo se passou e hoje vivemos a crista da onda da era da informação e do trabalhador do conhecimento,  onde o grande diferencial de qualquer negócio está na mente de quem faz parte dele e na capacidade, não só de pensar diferente, mas também de colocar em prática suas grandes idéias.

Você também já deve ter ouvido em algum momento da sua carreira profissional algum chefe ou dono do próprio negócio dizendo algo como

Não dá para confiar nestes funcionários… são todos incompetentes, não se comprometem com o negócio como o eu me comprometo…

Difícil de encontrar pessoas motivadas e comprometidas capazes de executar os excelentes planos estratégicos que os donos de empresa e seus altos executivos pensaram cuidadosamente por algumas semanas, publicaram em 20, 30 páginas e mandaram suas equipes lerem para saber o que fazer para atingirem as metas aparentemente impossíveis do ano em questão.

Creio que tudo isso seja muito comum nos dias de hoje. Tão comum quanto ingênuo.

Esqueça tudo o que você aprendeu nas faculdades e cursos de administração. A velocidade das mudanças é fenomenal e impossível de se acompanhar. Grandes mentes como Peter Drucker, Stephen Covey, Ram Charan, Jack Welch deram o primeiro passo evidenciando há várias décadas o caminho que hoje estamos percorrendo com a bagagem da era industrial.

Acordem.

Ninguém motiva ninguém. Somente o próprio indivíduo pode motivar-se e entregar seus braços, sua mente, suas emoções e sua alma a um propósito desde que faça sentido para sua vida.

Esta busca é constante e a única coisa que nós, donos de empresas podemos fazer é deixar muito, mas muito bem claro qual é o objetivo que queremos atingir.

Qual é a direção que estamos seguindo?

Qual é o sentido de nossos esforços, e depois disso, simplesmente convidamos outros indivíduos a participarem deste caminho.

Se não for assim, não funciona. Não motiva, não cativa, não empolga, não apaixona, não queima, não explode, não atinge porcaria de meta nenhuma.

Fica no máximo uma coisa morna. Nem lá, nem cá. Medíocre.

Nos últimos dias, o Google personalizou seu logotipo com o tema das Olimpíadas de Inverno de Vancouver 2010. Um dos esportes mais tradicionais das Olimpíadas de Inverno é a Patinação Artística em duplas, que na terça, 16/02/10 foi o termo mais digitado no twitter. Neste dia estava sendo disputada a final olímpica. Os chineses, pela primeira vez desbancaram a tradicionalíssima Rússia que ficou com bronze. A China levou ouro e prata.

O que mais me chamou a atenção foi a dupla que levou prata, pois foi uma das únicas 2 duplas que não cometeram erros e que conseguiram recuperar um resultado ruim na fase anterior que deixou quase impossível a conquista de uma medalha dado o altíssimo nível da competição. A apresentação empolgou o público e foi melhor do que a dupla que ganhou o ouro por ter sido melhor colocada na fase anterior.

Cada apresentação demora no máximo menos de 5 minutos. Neste curto tempo eles simplesmente não podem cometer erros técnicos pois centézimos decidem quem fica com medalha ou não. Eles literalmente moram no centro de treinamento durante quatro anos entre cada olimpíada de inverno.

Quanto custou esta medalha?

Com certeza centenas de tombos de boca no gelo. Milhares de finais de semana e feriados de treinamento durante toda a vida. Uma adolescência sem baladas, bolhas sobre bolhas, dezenas de desclassificações, semanas de dores durante os treinamentos, decidir abrir mão de milhares de coisas boas do cotidiano de todos nós…

E depois de menos de 5 minutos o atleta beija o gelo frio porque não se contenta de alegria de ter conseguido superar o que muitos davam por perdido.

Já imaginou isso: um casal chinês deixando a platéia emocionada em uma final de patinação artística?

Pois é… eles só conseguiram isso porque fazia muito sentido para eles. O caminho, apesar de muito duro e exigente tinha a chegada muito bem clara: a medalha olímpica.

Pense nisso: o que você está vivendo hoje está fazendo muito sentido para você? Você tem claro em sua mente onde quer chegar?

Se ainda não tiver, não tem como você se importar como o dono se importa.

Vender mais: primeiro passo

Se vendas é o que faz girar a roda de qualquer negócio, creio que está clara a importância de um empreendedor ter seu foco direcionado para este processo no seu dia-a-dia.

Porém o que nos impede de fazer isso? Imagino, dentre inúmeros fatores, que os 3 principais seriam:

  1. Fuga da responsabilidade
  2. Metas pouco claras e disseminadas
  3. Indicadores ineficazes

Não fuja das suas responsabilidades

Se as vendas vão mal a culpa não é da crise. A culpa é do empreendedor que não se preparou com antecedência, não pensou em reinventar seu negócio, não criou inovação para os seus clientes. Quem culpa a crise está fugindo da responsabilidade. Um empreendedor que Continue lendo 'Vender mais: primeiro passo'»

Primeiro o mais importante

Há muitos anos sempre me deparo com a estatística de empreendedorismo brasileiro que reza que em cada 100 empresas abertas no Brasil, somente 5 chegam a vencer a barreira dos 5 anos de existência. Sempre acompanhada de análises da escolaridade dos empreendedores, do ambiente econômico brasileiro e internacional e claro da burocracia e carga tributária nacional.

Cheguei a conclusão de que tudo isso não passa de meras desculpas para a incompetência estratégica e prática de nossos empreendedores. Apesar de ser uma palavra um pouco forte e que talvez desagrade muitos empreendedores que dedicam-se quase que integralmente suas vidas ao desenvolvimento de seus sonhos e negócios, não farei rodeios: é incompetência sim!

Conheço muitas pessoas que são ótimas em produzir algo a partir de um dom excepcional que possuem. Gastaram meses, além de uma quantia considerável em como fariam para produzir o seu serviço ou produto, de forma única e especial, agregando valor de forma fantástica e exclusiva.

Porém, após o negócio ter sido aberto, as vendas não aconteciam. Continue lendo 'Primeiro o mais importante'»